Ouça agora na Rádio

N Notícia

Em consulta popular São João vota por separar o Sul do Brasil e formar um novo país.

FOTO: Ilustrativa

Em consulta popular São João vota por separar o Sul do Brasil e formar um novo país.

Em consulta popular realizada neste sábado dia 07 de outubro pelo Movimento O Sul é Meu País em vários municípios dos três estado (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul) a maioria da população que participou decidiu pela separação politico-administrativa originando assim uma nova nação.

Em São João houve também a disponibilidade de uma urna ficando das 09 às 15 horas no CTG Cultivando a Tradição de São João. Segundo Informações 346 (Trezentos e Quarenta e Seis) pessoas compareceram sendo que entre essas apenas 4 (quatro) votaram contra totalizando 342 (Trezentos e quarenta e dois) votantes a favor e 4 (quatro) votantes contra.

O coordenador regional do Sudoeste do Paraná do Movimento o Sul é Meu País Cláudio Peruffo de Francisco Beltrão destacou a forma do novo governo caso seja criada uma nova nação com os três estados do sul: “… nós estamos trabalhando e pensando em uma república federalista onde será constituída por 1.191 (Um Mil Cento e Noventa e Um) municípios já existentes na região sul. Passaremos a ter um governo central sem os governos estaduais existentes hoje, por exemplo, o Governo do Estado do Paraná, Governo do Estado de Santa Catarina e o Governo do estado do Rio Grande do Sul deixam de existir e passa a ser somente o Governo Federal, então será uma federação de Municípios com um governo republicano em um sistema de governo parlamentarista. Então é uma situação que realmente vai mudar toda a estrutura da região sul, mas com uma questão bem importante, nós vamos poder ter no sul do Brasil um país comparado à França pelo seu IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), pelo seu numero de quilômetros quadrados, pelo numero da população e pelo numero de eleitores que teremos no sul…” afirmou Cláudio.

A consulta popular que aconteceu neste sábado dia 07 de outubro não foi obrigatória. O objetivo era somente consultar a opinião da população sobre a criação de uma nova nação, portanto não tem validade jurídica.

FONTE: Por Douglas Nunes - Repórter Rádio São João.
Link Notícia